Dados Trabalho remoto: estatísticas que você precisa saber

Os novos dados do trabalho remoto mostram que esta modalidade está crescendo exponencialmente no mundo inteiro. Confira abaixo o que dizem as novas pesquisas sobre o home office das empresas e os incríveis insights que elas apresentam.

O Instituto Trabalho Portátil e o GoHome foram buscar e traduzir estas informações essenciais para gestores de RH e coordenadores de programas de trabalho remoto.

Listamos abaixo as estatísticas de mais importantes de 2016 a 2018 sobre trabalho remoto.

O trabalho remoto aumenta a produtividade da equipe

Um dos maiores ganhos de um programa de trabalho remoto é o aumento nos índices de rendimento das pessoas que trabalham em casa.

As pesquisas abaixo demonstram que estes coeficientes de produtividade são causados pelo aumento na motivação dos colaboradores que trabalham home office e na redução das interrupções no trabalho.

Além disso, nota-se que a diminuição na frequência de reuniões improdutivas contribui para aumentar a qualidade do trabalho apresentado. O mesmo ocorrendo com problemas relacionais com colegas e gestores.

Veja os dados que confirmam este benefício:

De acordo com pesquisa do site FlexJobs, 76% dos trabalhadores Norte-americanos disseram preferir executar suas tarefas fora do escritório na empresa.

Além disso, 86% dos trabalhadores entrevistados pela SurePayRoll disseram que atingem “produtividade máxima” quando trabalham sozinhos. E 2/3 dos gestores garantem que seus colaboradores que estão remotos aumentam a sua produtividade.

Outro dado interessante: 58% dos colaboradores remotos sentem-se mais motivados no home office (fonte: PowWowNow)

Sobre redução no prazo para executar tarefas uma pesquisa de ConnectSollutions revela que:

– 24% dos colaboradores remotos entrevistados disseram que o trabalho remoto permitiu que conseguissem executar mais tarefas no mesmo tempo em comparação ao trabalho no escritório.

– 30% garantiram que conseguem completar MAIS tarefas em MENOS tempo.

Já a recente pesquisa da Gallup traz uma estatística mais conservadora, porém positiva. Este estudo, revela que não há diferenças entre a produtividade dos colaboradores em home office e de quem trabalha apenas na sede da empresa.

O trabalho remoto reduz o stress dos colaboradores em home office

Menos tempo enfrentando o trânsito e mais tempo com a família. Mais autonomia de tempo para fazer exercícios ou cuidar da alimentação. Não é surpresa que o trabalho remoto proporciona mais qualidade de vida à quem trabalha home office.

E as pesquisas mais recentes mostram que o trabalho remoto passou de tendência à benefício essencial para colaboradores. Os dados são extremamente positivos:

82% dos colaboradores remotos reportaram níveis menores de stress, segundo um estudo da PGI, empresa líder em software de serviços. Esta notícia é boa para quem está trabalhando no home office e também para a empresa para quem ela trabalha. A pesquisa conta ainda que 80% dos entrevistados mostraram estar mais motivados pelo programa de trabalho remoto.

A mesma pesquisa mostra ainda que o trabalho remoto reduziu o absenteísmo na empresa em cerca de 69%.

O trabalho remoto reduz o turnover

Muitas pesquisas mostram que o trabalho remoto é o segundo benefício que mais atrai e retém talentos na empresa, perdendo apenas para valor de salário.

Uma pesquisa da Universidade de Stanford concluiu que as taxas de pedidos de demissão caíram mais de 50% em empresas que possuam um programa de trabalho remoto. O relatório compilado pela consagrada instituição ainda descreve o home office como uma solução “altamente lucrativa” para as empresas.

A pesquisa da FlexJobs citada anteriormente no texto também traz dados muito positivos sobre retenção de talentos. Neste estudo, 82% das pessoas entrevistadas afirmaram que seriam mais leais à empresa onde trabalham se ela oferecesse o benefício de um programa de trabalho remoto.

O trabalho remoto reduz os custos da empresa

Com parte da equipe trabalhando em casa alguns dias da semana, é possível implementar um sistema de horários flexíveis e estações compartilhadas. Isso permite a redução no espaço de escritórios e uma enorme economia em custos imobiliários e nas contas de consumo.

Confira os dados:

Segundo reportagem da revista Forbes, o programa de trabalho remoto da empresa Aetna permitiu uma redução de US$ 78 milhões (cerca de R$ 280 milhões) em custos imobiliários. Esta economia só foi possível graças a uma combinação de estações compartilhadas com trabalho remoto.

Outra empresa que também economizou foi a American Express, que reduziu em cerca de 15 milhões de dólares seus custos imobiliários com o trabalho remoto.

O trabalho remoto melhora o engajamento da equipe

Parece um contra-senso, mas colaboradores em home office acabam tendo uma melhor interação com seus colegas e superiores, em comparação com quem fica apenas no escritório. Segundo matéria da revista Harvard Business Review, isso ocorre graças à grande variedade de ferramentas tecnológicas disponíveis atualmente.

O estudo mostrou que 87% dos colaboradores em trabalho remoto sentem-se mais conectados quando fazem reuniões utilizando videoconferência.

Mas mesmo com o trabalho remoto acontecendo alguns dias na semana, uma eventual interação presencial é imprescindível. O estudo Breaking Barriers 2020 sobre o futuro do trabalho mostra que 86% dos trabalhadores acham importante uma eventual interação pessoal.< Prova disso é o estudo recente do Gallup que mostra um indicativo importante. A pesquisa mostra qual é a proporção ideal entre trabalho remoto e trabalho na empresa para atingir a máxima eficácia. E a solução está no equilíbrio. Segundo o estudo, o mix perfeito para potencializar a produtividade de quem trabalha home office é permitir o trabalho remoto de 60% a 80% do tempo.

Ou seja, para funcionar perfeitamente, um programa de trabalho remoto não deve ter a frequência muito baixa (menos de 2 vezes por semana, por exemplo) nem ocorrer 100% do tempo.

O trabalho remoto impacta positivamente no meio ambiente

O home office permite que o colaborador deixe o carro na garagem ao menos alguns dias na semana. Isso significa um número menor de veículos circulando nas ruas. E, consequentemente, uma taxa menor de CO2 na atmosfera.

A iniciativa Work Remote Day mostrou que o trabalho remoto pode permitir uma redução no consumo de combustíveis em cerca de 680 milhões de galões (aproximadamente 2.5 bilhões de litros) por ano.

O trabalho remoto atrai os talentos da Geração Y

O home office é um formato de trabalho que faz mais sentido para a força de trabalho jovem, principalmente os millenials, também chamados de Geração Y. Para esta geração, que contribui com 35% da força produtiva atualmente (nos EUA), não faz sentido atravessar a cidade e perder tempo em um engarrafamento, para executar tarefas que poderiam ser realizadas de qualquer lugar.

Esta conclusão é confirmada pelo estudo realizado pela After College que mostra que 68% de candidatos da geração Y ficariam mais inclinados a trabalhar em empresas que oferecessem o trabalho remoto como opção.

O trabalho remoto é o trabalho do futuro

Um importante relatório do Fórum Econômico Mundial apresentou vários insights sobre o futuro do trabalho. Entre os principais está o trabalho remoto, apontado como “um dos maiores veículos de transformação” no espaço de trabalho.

Com o surgimento das novas tecnologias, colaboradores passaram a exigir mais autonomia sobre onde e quando gostariam de trabalhar. A maioria deles (57%) afirma que mudaria de emprego para outro com mais flexibilidade de horários. E 37% dos entrevistados, mudaria de emprego para um que permitisse o trabalho remoto, pelo menos em parte do tempo. É o que revela a pesquisa do Instituto Gallup de 2017.

Ainda sobre o futuro do trabalho, uma pesquisa da Upwork, mostrou o que 38% dos gestores de recursos humanos responsáveis pela seleção e recrutamento de suas empresas acreditam. Para eles, dentro de 10 anos a maioria da força de trabalho vai executar suas tarefas remotamente.

E uma recente pesquisa do Instituto Gallup traz ainda uma grande revelação. O estudo descobriu que 37% das pessoas entrevistadas já trabalharam remotamente pelo menos alguma vez em suas carreiras. Esta porcentagem simplesmente quadruplicou desde 1995!

Empresas precisam capacitar gestores e colaboradores que participam (ou não) do trabalho remoto

O sucesso de um programa de trabalho remoto depende estritamente da capacitação de seus participantes. Gestores, colaboradores, familiares e até colegas que permanecem trabalhando nos escritórios da empresa precisam receber treinamentos para saber como agir nas mais variadas situações que podem ocorrer no dia-a-dia do home office.

Quando a empresa resolve improvisar em seu programa de trabalho remoto, alguns problemas podem ocorrer. As estatísticas abaixo demonstram exatamente isso:

Segundo pesquisa da Cardiff University, 44% dos colaboradores que trabalham home office na maioria do tempo confessaram que não sabem como relaxar após o término do expediente (contra 38% de quem trabalha nos escritórios tradicionais).

Com relação à suporte da empresa ao home office, 64% dos gestores de Recrutamento e Seleção nos EUA disseram possuir os meios para contratar colaboradores remotos. Mas 57% destes reclamam que as empresas não tem um programa formalizado de trabalho remoto que suporte esta política. (fonte: Upwork)

Ainda sobre este assunto, 70% (ou seja, quase ¾) dos trabalhadores do Reino Unido responderam que acham importante poder contar com a opção do trabalho remoto. E quase a metade destes, (48%) afirmaram que as empresas onde trabalham não permitem o home office. E 12% disseram que suas suas empresas até possuem a infra-estrutura tecnológica para implementar o trabalho remoto, mas não o fazem perdendo assim uma grande oportunidade de economia, crescimento e adaptação ao futuro do trabalho (fonte: YouGov)

Os dados acima mostram o grande potencial do trabalho remoto. E demonstram também quanto o home office pode afetar positivamente os marcadores da sua empresa. Por isso, é grande a importância na conscientização e na capacitação dos participantes do programa de trabalho remoto.

As estratégias corretas, um conteúdo adequado e treinamentos eficazes, aumentam as possibilidades de que um programa de trabalho remoto apresente apenas estatísticas positivas.